Soluções para Reúso de Água 2019-11-25T11:35:26-03:00

Soluções para Reúso de Água

O reúso de água tem sido cada vez mais adotado no Brasil, principalmente para redução de custos na tarifa de água e esgoto e na recuperação de bacias subterrâneas e superficiais. Sua utilização tem sido para irrigação, na descarga de bacia sanitária, no make-up de torres de resfriamento,  na agricultura em prédios com selos Leed.

Reúso para Indústrias

As técnicas de reúso de água dependem da tipologia do efluente industrial. A utilização da água reciclada determinará o grau de tratamento e o fluxo de processo que deve ser aplicado.

A tecnologia de membranas é a mais utilizada nas indústrias, ela proporciona segurança operacional e uma água de excelente qualidade. Todas elas podem ser aplicadas em um sistema já existente. Um dos processos mais aplicados hoje em dia é o MBR(membrane bioreactor) ou biorreator por membranas que substituem a fase de decantação secundária do processo de lodos ativados e proporcionam uma qualidade de efluente tratado livre de bactérias e germes, permitindo sua reutilização em irrigações, águas para lavagem, recarga de bacias sanitárias dentre várias outras aplicações. Existem vários tipos de membranas aplicados na tecnologia MBR

  • Tubulares
  • Placa Plana
  • Fibra Oca

Confira abaixo um exemplo de membranas flatsheet de UF usadas em um sistema MBR(Membrane Bioreactor) com tanque de extração em uma indústria Alimentícia.

Reúso para Águas Cinzas e Negras

No caso das águas cinzas, a origem do efluente são as águas residuais, não industriais, advindas de chuveiros, máquinas de lavar, sempre oriundas de processos domésticos. A atenção que deve se dar a esse tipo de efluente é a contaminação com diferentes tipos de substâncias solúveis e insolúveis e deve ser tratada adequadamente. Contaminantes em água cinza incluem restos de alimentos, gordura, fios de cabelos e uma gama de produtos de limpeza doméstica.

  • Tratamentos biológicos são usados ​​como tratamento de águas cinzas para remover matéria biológica dissolvida e suspensa, seguida de ultrafiltração para evitar a passagem de partículas, bactérias e vírus. Por fim, a água cinza pode ser desinfetada com ultravioleta e / ou cloração, para garantir a desinfecção residual no ponto de uso.
  • Tratamentos físico-químicos seguidos de membranas de nanofiltração ou osmose reversa também podem ser empregados como rota tecnológica.

As águas negras são oriundas de esgoto sanitário e contém maior concentração de matéria orgânica solúvel.  O tratamento biológico dos efluentes seguido de ultrafiltração em membranas possibilita  o reúso dos efluentes sanitários.Nesses casos a melhor reutilização é para bacias sanitárias e irrigação. No caso de reúso em torres de resfriamento, o mais adequado é o sistema de osmose reversa antecedida por uma ultrafiltração.

Dentro da linha de produtos a TECMA®EPAR é uma planta conteinerizada compacta que embarca a tecnologia MBR com membranas flatsheet, o que permite elevada qualidade de descarga, longevidade na troca de membranas, fácil limpeza e baixa manutenção da planta de tratamento.

Reúso para Torres de Resfriamento

Identificando o material usado na Torre de resfriamento, temperatura, vazão e duração de operação podemos exigir a qualidade da água requerida mediante impacto na torre. Por exemplo, em materiais como aço inox 304 o teor de cloro é fator limitante, já em materiais de fibra esse parâmetro não é problema.

Estabelecer os ciclos de concentração também é importante.  Cada ciclo de concentração aumentará a concentração de sólidos totais, condutividade e cloreto,e em algum momento esses parâmetros podem afetar o sistema.

Abaixo listamos uma avaliação de componentes que podem influenciar na qualidade da água.

  • Os sais de cálcio precipitam inversamente proporcional a temperatura da água. O magnésio combinado com a sílica podem resultar em silicato de magnésio no trocador de calor
  • O Controle da Alcalinidade pode monitorar o carbonato de Cálcio
  • A sílica pode produzir incrustação difíceis de remover
  • A corrosão do aço inox 304SS pode ocorrer dependendo da concentração de cloretos. Os depósitos de biomassa podem causar furos rápidos
  • Controle de sólidos em suspensão é importante para identificação de corrosão ou por subprodutos. Os sólidos suspensos podem aderir aos biofilmes e causar corrosão e sub-depósitos.
  • O fosfato em concentrações superiores a 20mg/L combinadas com altas concentrações de cálcio podem gerar fosfato de cálcio, agindo como nutriente para biofilmes
  • O Cloreto é corrosivo para a maioria dos metais. O limite de concentração de 300 ppm para aço inox e acima de 1.000 ppm para outros metais.
  • O ferro pode combinar com o fosfato  e desativar polímeros usados para inibir o fosfato de cálcio
  • DBO e orgânicos refletem a demanda para o biocida oxidante.
  • Metais pesados como cobre e níquel podem prender o aço, causando corrosão galvânica nos tubos de troca de calor

Para o Reúso em Torres de Resfriamento adotamos um sistema de ultrafiltração, seguido de osmose reversa.